Município de Sete Lagoas registra geração de 195 vagas no primeiro trimestre de 2017 - Unifemm
(31) 2106 2106 | ouvidoria@unifemm.edu.br

Notícias Unifemm

Município de Sete Lagoas registra geração de 195 vagas no primeiro trimestre de 2017

O Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), do Ministério do Trabalho e Previdência Social, registrou destruição de 63,6 mil de vagas líquidas no país em março de 2017, no acumulado do ano 64,4 mil postos formais foram extintos.
Semelhante aos resultados apurados no Brasil, foi registrada destruição de 06 vagas líquidas no estado de Minas Gerais. De modo distinto, o município gerou 23 vagas líquidas neste mês.

Em março, mais de 63 mil de vagas líquidas foram destruídas no País
Neste mês, 63,6 mil vagas líquidas foram destruídas no Brasil, derivadas da criação de 1.261.332 vagas e do desligamento de 1.324.956 pessoas. A maior contribuição foi do setor de Comércio, que destruiu 33,9 mil vagas líquidas. Já a única contribuição positiva que surgiu neste período, foi oriunda do setor de Administração Pública, 4,6 mil postos formais.

No trimestre, 64,4 mil vagas foram destruídas no País, neste período, Comércio, Construção Civil e Extrativa Mineral foram os setores que destruíram vagas no período, respectivamente, 118,3 mil, 21,1 mil e 1,02 mil vagas líquidas. Já os setores de Serviços, Indústria de Transformação, Agropecuária e Serviços Industriais de Utilidade Pública registraram expansão do nível de vagas líquidas no País.

Nos últimos 12 meses, mais de 1 milhão de vagas formais foram extintas no país, tendo como a Construção Civil o setor que mais contribuiu no período, 342 mil vagas foram destruídas, 31% da movimentação de postos formais. 

Agropecuária é destaque no que se refere a geração de vagas formais em Minas Gerais 

Em março de 2017, 06 vagas foram destruídas no Estado, semelhante ao registrado no país, Serviços foi o setor que mais extinguiu vagas no período, destruição 5,5 vagas líquidas.

Em Minas Gerais, foi verificada expansão do nível de emprego em sete dos oito setores analisados pelo CAGED no primeiro trimestre de 2017, resultando em expansão do nível de emprego,  9,9 mil vagas líquidas. Já as maiores contribuições se tratando de geração de postos formais foram os setores de Indústria de Transformação e Agropecuária.

Nos 12 últimos meses, 83,9 mil postos de trabalho foram extintos no estado de Minas Gerais. Neste período, a participação mais relevante foi a do setor de Construção Civil, 29,9 mil postos formais líquidos foram destruídos no período, é destaque, ainda, Serviços com 24,7 mil postos formais extintas. O setor de Agropecuária foi o único setor a expandir o nível de emprego, 3 mil postos gerados, no período.    
Entre os estados, Minas Gerais ocupou a 6ª colocação no ranking de geração de vagas por Unidades de Federação, o Rio de Janeiro foi o estado a destruir o maior número de vagas, 17,9 mil postos líquidos formais no mês.

Indústria de Transformação é destaque por expandir nível de emprego em Sete Lagoas em março
No acumulado dos últimos 12 meses, 1,7 mil postos formais foram extintos no município no período, a maior contribuição foi oriunda do setor de Serviços, 692 vagas líquidas extintas. Neste período, apenas o setor de Administração Pública não registrou movimentação, os demais destruíram vagas. 

Em março de 2017, foi registrado saldo positivo no mercado formal de emprego em Sete Lagoas, 23 vagas líquidas foram geradas no mês, resultado das admissões que somaram 1.388 vagas e dos desligamentos, 1.365 vagas. A Indústria de Transformação, Construção Civil, Serviços e Serviços Industriais de Utilidade Pública expandiram o nível de emprego no mês, respectivamente, 93, 10, 05 e 01 vagas geradas. Já o Comércio foi o setor que destruiu mais vagas no período, 82 vagas. 

No trimestre foi registrada geração de 195 vagas líquidas no município, resultado da admissão de 4.131 e desligamento de 3.936 vagas, no acumulado a participação mais relevante foi do setor de Indústria de Transformação, que gerou 347 vagas líquidas, já o Comércio foi quem registrou desempenho mais negativo, 212 postos formais extintos. Comparando-se os resultados do acumulado, com o mesmo período de 2016, percebem-se resultados bastante distintos, naquele trimestre, 865 vagas líquidas foram destruídas, já em março de 2016, 337 vagas foram extintas.

Neste mês, entre os 110 municípios com mais de 30 mil habitantes de Minas Gerais, 46 registraram expansão no quadro de vagas líquidas no fechamento do mês, com o resultado para o mês, Sete Lagoas passou a ocupar a 36ª colocação no ranking estadual de municípios geradores de vagas.

 

 


 

Confira outras Notícias

A+
A
A-
PD
AC