Simpósio no UNIFEMM discute o novo papel das Universidades - Unifemm
(31) 2106 2106 | ouvidoria@unifemm.edu.br

Notícias Unifemm

Simpósio no UNIFEMM discute o novo papel das Universidades

Com as novas tecnologias, as mudanças no mundo estão cada vez mais rápidas. E com o ensino não poderia ser diferente. Das escolas de ensino fundamental às universidades, todas as instituições envolvidas com a educação se veem perante um quadro de novas atuações. Nos dias 17 e 18, o UNIFEMM foi o núcleo de discussão sobre este novo lugar das instituições de ensino superior. O Centro Universitário de Sete Lagoas recebeu os principais especialistas do país para o 1o Simpósio sobre Universidades Empreendedoras no Brasil.

Dentre os presentes estava o presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Dr. Mário Neto Borges, além de professores de grandes universidades como USP, UFRJ, UNIRIO, PUC Minas e diretoria da Embrapa Milho e Sorgo. O objetivo do evento era discutir o papel e os indicadores das universidades neste mundo onde o empreendedorismo é a palavra de ordem.Ao longo dos dois dias, os especialistas em educação trocaram experiências, falaram da relação entre as universidades, indústrias e poder público e as agências de fomento.

Os especialistas apontaram algumas particularidades que caracterizam as universidades empreendedoras, como, por exemplo, ter um maior engajamento com os problemas sociais. Ao mesmo tempo, estas instituições buscam uma maior integração com o poder público e a indústria, a fim de conquistarem maior independência em suas ações, permitindo a elas assumir maiores riscos voltados para a inovação. “Mas para isso acontecer é necessário um maior envolvimento de todos os seus membros e, inevitavelmente, dar total apoio à cultura empreendedora”, explica a Dra. Mariza Almeida, professora e pesquisadora da UNIRIO.

    

Para o presidente do CNPq, é necessário criar uma cultura de inovação em cadeia, em toda a extensão do ensino. “Este pensamento deve estar presente desde o ensino fundamental até o doutorado, de forma a criar uma cultura de inovação e empreendedorismo no Brasil”, defende Dr. Mário Borges. Para isso, o CNPq lançou no dia 16 o programa INOVA TEC, com o objetivo de ampliar a participação dos alunos de graduação em projetos de pesquisa, desenvolvimento e inovação, sempre voltados para o setor industrial. Serão distribuídas 200 bolsas de Iniciação Tecnológica e Industrial (ITI) a estudantes de curso superior e superior tecnológico.

Entre os convidados para o simpósio estava o professor norte-americano Dr. Henry Etzkovitz, presidente da Triple Helix Association, uma das principais organizações mundiais voltadas para o empreendedorismo nas universidades. Para ele, uma das principais barreiras enfrentadas pelas instituições de ensino é a transferência de tecnologia entre as pesquisas e a indústria. “Muitas vezes, a pesquisa desenvolvida não tem a força de um produto a ser adotado pela indústria”, lamenta Etzkovitz.

Segundo o professor da Universidade de Stanford, há diversas formas das universidades se conectarem com as indústrias, seja através do incentivo constante ao empreendedorismo e inovação ou mesmo dando um apoio fundamental para as startups. “O empreendedorismo pode ser um ponto fundamental de uma universidade, como é feito no Massachusetts Institute of Technology (MIT)”, exemplifica.

O Reitor do UNIFEMM, Dr. Antônio Bahia, lembrou que o Centro Universitário de Sete Lagoas tem o empreendedorismo como uma das suas principais missões. “Temos em nosso cerne uma vinculação muito clara com o processo de desenvolvimento regional. Nós consideramos a pesquisa como um motor muito forte do nosso processo de ensino. E este tipo de conhecimento não tem preço”, avalia o Reitor do UNIFEMM.

Uma das principais articuladoras do Simpósio sobre as Universidades Empreendedoras, a professora Dra. Adelaide Baeta, defende que as universidades devem se colocar em um novo papel. “As grandes instituições de ensino superior não podem ficar restrita a desenvolver apenas bons textos científicos. É preciso se envolver com a sociedade, transformar esse conhecimento em algo voltado para a população”, defendeu.

Todo o seminário foi transmitido pela internet e está disponível no canal do Youtube do UNIFEMM. Os interessados podem acessar o conteúdo, que está disponível gratuitamente nos links abaixo.

1º Simpósio sobre Universidades Empreendedoras do Brasil - Manhã

1º Simpósio sobre Universidades Empreendedoras do Brasil - Tarde

Clique aqui e confira mais fotos do evento.

Confira outras Notícias

A+
A
A-
PD
AC