Gravação do Entrelinhas no UNIFEMM recebeu o empresário Zema - Unifemm
3121062106 | ouvidoria@unifemm.edu.br

Notícias Unifemm

Gravação do Entrelinhas no UNIFEMM recebeu o empresário Zema

Gravado mensalmente no Auditório do UNIFEMM, o programa Entrelinhas de junho recebeu na noite desta terça-feira, 26, o empresário e pré-candidato ao Governo Romeu Zema. Apresentado pelo também empresário Juninho Sinonô, ao longo de uma hora, eles conversaram sobre os problemas vividos por Minas Gerais e os planos para retomar o crescimento econômico do Estado.

Filiado ao partido Novo, Zema defendeu cortes profundos na administração pública. Entre as suas propostas está a redução do número de secretarias. “Hoje temos 23 secretarias e uma enorme estrutura de cargos. A primeira coisa é cortar para no máximo 10 secretarias estaduais. Não tem como administrar uma empresa com 23 assessores”, defendeu. Em seus cálculos, mesmo tomando as medidas necessárias, Minas Gerais ainda levaria entre 2 a 4 anos para equilibrar as contas públicas.

O empresário ainda defende a meritocracia no poder público. “Precisamos acabar com o personalismo no Estado e aproveitar as pessoas que têm competência dentro da máquina para ocupar os cargos públicos”, explicou Zema. Para ele é preciso não só enxugar a máquina, mas também deixá-la eficiente. “Temos que utilizar as técnicas modernas de administração para transformar a administração pública eficaz”, observou.

Natural de Araxá, é a primeira vez que Romeu Zema se envolve com a política. Ele é um dos candidatos considerado outsider, sem qualquer ligação com o mundo político anteriormente. À frente do Grupo Zema, ampliou a rede de lojas da empresa, principalmente em cidades de pequeno porte, com população de até 50 mil pessoas e chegou ao faturamento de R$3 milhões por ano. “Minha eleição representa a insatisfação da população com a classe política. Nunca fui ligado à partidos políticos e nunca ocupei cargos públicos. Então, não tenho ligação com essa velha política que assistimos e nos indigna todos os dias”, avalia.

Confira outras Notícias

A+
A
A-
PD
AC