UNIFEMM – Centro Universitário

No Blog do UNIFEMM, trazemos dicas, novidades
e assuntos atuais sobre o mercado de trabalho e experiências.
Além, de contar para vocês tudo que rolou na instituição e nos cursos.

Meio Ambiente e Sustentabilidade - Walbert Alves Cardoso Engenharia Civil

No ramo da engenharia civil, é de muita importância estudar sobre os impactos socioambientais causadas pelas obras feitas. Para se construir uma estrada, leva-se em consideração a necessidade de um possível desmatamento. Para se construir um prédio, é importante observar o impacto que essa construção pode causar ao seu redor.

Não existe construção civil que não modifique o ambiente à sua volta. Outra consequência causada pela alta demanda de construção e reforma, é a crescente escassez de recursos provenientes da natureza como madeira, minério e produtos derivados de petróleo. Sem uma gestão eficiente de reaproveitamento dos recursos, a humanidade tende a passar por períodos em que a falta de insumos básicos venha a ser cotidiana.
Sabendo disso, o ramo que mais cresceu nos últimos anos foi a do setor de inovação. Nesse setor, novas técnicas de construção são desenvolvidas a fim de otimizar o tempo e os recursos disponíveis.

Em se tratando de uma área técnica, de nada seria útil haver sustentabilidade no processo construtivo se esse não fosse eficiente. Por isso, o trabalho científico é de suma importância para a criação e desenvolvimento de novas metodologias de trabalho. É importante salientar que existem muitas inovações já sendo aplicadas no ramo. Essas já embasadas em testes de resistência e durabilidade obedecendo às normas vigentes de execução.

Uma tentativa sustentável de empregar elementos comuns do nosso cotidiano é o uso de caroço de açaí em concreto para reboco. O caroço de açaí, adicionado ao concreto, torna a impermeabilidade muito maior, o que pode evitar os alagamentos.

Outra medida de sustentabilidade e inovação é a placa drywall, que tem menor impacto ambiental utilizando uma menor quantidade de resíduos em sua aplicação. O desperdício não passa de 5% contra 25% dos sistemas tradicionais e os resíduos podem ser reciclados. A precisão maior na hora de construir as estruturas, além de evitar a compra de material excedente, evita também o acúmulo de entulho. Economia na hora da compra e do descarte.

Entre outras técnicas comumente utilizadas, uma que recentemente vem sendo aplicada é o uso do telhado verde. Com o crescente aumento de construções verticais, fica mais evidente a falta de arborização dos ambientes e cidades. O telhado verde surge com a proposta de transformar a parte superior da casa (telhado) em um minijardim, contribuindo para uma excelente climatização natural e uma diminuição no impacto ambiental.

As outras economias são:
Financeira – a água da chuva captada pode ser utilizada na limpeza dos ambientes, na jardinagem e também na descarga de banheiro.
Qualidade de vida – um telhado verde pode favorecer o bioma da região, atraindo animais que podem tornar a vizinhança mais agradável e bonita.
Contudo, entre todas as técnicas descritas neste texto, a que mais faz diferença para o impacto ambiental é a conscientização geral dos políticos para uma gestão no ramo da engenharia que vise à construção com base no cuidado com a natureza. Só assim, alinhado com a tecnologia de inovação, chegaremos em um futuro farto, produtivo e sustentável para todos nós.

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support